Logo da República do Brasil - Justiça Federal da 5ª Região
Link do Tribunal Regional Federal da 5ª Região
Imagem do Portal da Justiça Federal
Portal da Justiça Federal da 5ª Região TRF5 Sustentável Selo Justiça em Números

Seminário no TRF5 discute o papel do sistema de justiça brasileiro na luta contra o câncer

30/10/2017 às 18:06:00

Manoel Erhardt citou fatores que interferem na atuação do Poder Judiciário

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região – TRF5 sediou, hoje (30), o seminário “O papel do sistema de Justiça brasileiro na luta contra o câncer: perspectivas e desafios”, promovido pela Defensoria Pública da União (DPU). Pela manhã, os palestrantes debateram sobre o tema “A atuação das instituições públicas e seus reflexos no acesso ao tratamento oncológico”. A mesa contou com a participação do presidente do TRF5, desembargador federal Manoel Erhardt, do chefe da Defensoria Pública da União no Recife, Pedro de Paula Almeida, do defensor público-geral do Estado de Pernambuco, Manoel Jerônimo, e da diretora-presidente do Hemope, Yêda Maia.

Ehardt abriu os debates falando dos desafios do Judiciário no controle das políticas públicas. “Muitas vezes, é difícil estabelecer limites, dizer até onde o Judiciário deve atuar para a implementação dessas políticas”. Ele citou, ainda, fatores que interferem na atuação do Poder Judiciário: “há um aspecto psicológico envolvido, sem falar nas questões técnicas, pois é difícil dizer se o tratamento é o adequado, se realmente vai ser eficaz. Tudo isso traz dúvida e é motivo de angústia para o magistrado ao proferir decisões sobre um tema tão relevante”.

O seminário contou também com a presença de pacientes que sofreram com o câncer. A advogada Maria Paula Bandeira luta contra a doença há sete anos. “Quanto mais falamos sobre o tema, mais conseguimos colocar a dimensão da doença para um paciente e para a sociedade em geral”, explicou. Já José Roberto Santos, diagnosticado com câncer de intestino, fez um apelo. “Peço que não vejam os pacientes de câncer apenas como números; é preciso ter mais sensibilidade na hora de analisar os casos”. 

A rodada de debates no período da manhã encerrou com o tema “A necessidade de compatibilização entre a política pública relativa ao tratamento do câncer e a atenção individualizada ao paciente”, com representantes do Ministério Público de Pernambuco, do Imip e da Defensoria Pública da União.

À tarde, duas mesas abordaram os temas “A tutela coletiva e a saúde enquanto direito social” e “O respeito ao saber médico e a busca pelo resultado útil do processo judicial”.


Autor: Divisão de Comunicação Social do TRF5

 Imprimir 

Top